terça-feira, 7 de julho de 2009

Novo papa diz: "Igreja encontrou seu caminho"

Depois da súbita morte de Bento XVI e da ascenção do novo papa, que decidiu se chamar João, o que faz delo o XXIV, muitas mudanças severas se passaram na Igreja Católica. O papa revolucionário encabeçou um programa que resolveu chamar de "O Plano da Mudança, UI", em que o "U.I." quer dizer 'Universal e Institucional", e consiste, basicamente, em mudar a estrutura da Igreja.
O papa João XXIV nasceu em 1948, em Roma, mas veio logo cedo para o Brasil com os pais, tendo se instalado em São Paulo. Quando perguntado sobre seu nascimento, o papa confessa: "eu renasci na década de 70, quando me juntei aos padres do nosso seminário e decidimos nos dar... toda a liberdade!". Eleito cardeal há alguns anos, sempre retornava ao Brasil para participar de manifestações públicas em favor dos direitos das minorias, pelos quais lutava em vários países do mundo. A imagem do então cardeal era ainda mais freqüente nas manifestações do orgulho homossexual.
Com o novo programa do Vaticano, a intenção é manter boa parte das antigas leis e tradições, mas só depois de serem revistas. Dentre as antigas tradições, ainda se proíbe aos sacerdotes o casamento. A justificativa foi reafirmada: um padre não pode ter filhos. "Sim", afirma João XXIV, "mas isso não impede que ele mantenha relações que não levarão à gravidez". Assim, fica permitida a prática homossexual entre os sacerdotes. Manifestações mundo afora foram organizadas: a notícia foi recebida com imenso louvor. Analistas confirmam que, por um lado, foi uma medida que reconheceu que havia afastamento de muitos cristãos da Igreja e visava a não só os atrair de volta, como conquistar o público homossexual de maneira geral, que agora encontra uma religião que o aceita. O papa João XXIV conclui: "antes dessa reforma, como esperavam que a gente se desse a Jesus?".

Fonte: Arial 11.

Um comentário:

Cinthia disse...

vc perdeu todo esse tempo com essa pesquisa ... mais o tempo de postar!!! por isso meu avô já dizia: Cabeça desocupada, oficina do diabo.