domingo, 19 de outubro de 2008

Bus Stop



Eu estou em pé.
Discretamente observo seu rosto. Vejo seus cabelos negros, seus lábios cheios. Ela não é especialmente bonita, mas é de alguma forma interessante. Acima de tudo noto os seus olhos vermelhos, respiração oscilante e expressão triste. A duras penas tenta conter o choro.
Observo-a durante algum tempo, penso em falar algo. Penso sobre o que pode estar acontecendo em sua vida; sobre que tipo de pessoa ela é; o que faz; onde estava antes de entrar aqui. O freio me empurra um pouco para a frente. Cheguei ao meu destino. Desço.

Um comentário:

Ingrid #) disse...

lembrou-me uma passagem de Cinco minutos de José de Alencar com uma roupagem pós-moderna hehe!

muuuito bom! :)