quarta-feira, 27 de agosto de 2008

A vida do homem-carrinho


A luz é obnubilada pela sujeira grafite. O concreto, com sua aspereza máxima, reflete mais concreto como uma sala de espelhos grotesca que tenta inutilmente mostrar uma prosperidade que não existe. No meio disso, meio que perdido, há um homem e um carrinho; fundidos num só, o homem-carrinho que encontramos aleatoriamente disposto entre paredões, veículos selvagens e cardumes de gente, espreme-se por oxigênio. Mas o homem-carrinho só pode ser pequeno demais, já que consegue escapar de Mão Enorme - ainda assim, muitos o vêem. Tudo controlando com mão de ferro, Mão Enorme possui dedos extremamente compridos que fazem cumprir Sua vontade - ainda assim, o homem-carrinho passa por entre eles. O homem-carrinho não segue as vontades; ele simplesmente é e simplesmente faz como se não existissem; Mão Enorme acaba com milhares como ele, mas não com ele, não agora. Mão Enorme nunca verdadeiramente conseguirá alcançar todos, e a vida do homem-carrinho - com suas práticas e a de outros como ele, fura e deixará sangrar até a morte os quase-tentáculos de Mão Enorme, o que certamente levará tempo demais, além da vida desse homem-carrinho. Outra coisa poderia ser feita - deixar-se acolher pela frialdade da palma, por exemplo; mas o homem-carrinho, com um um sorriso estampado na face que ele remove à medida que o dia cai junto com o suor, está no lugar de sempre: lá se vende um pouquinho de anarquia a cada mordida (ou somente um sujo e saboroso cachorro-quente).

4 comentários:

Engel disse...

Hm...
Será que o nome dele é Bakhunin? XD

Matteo disse...

podia ser o homem da tapioca

apelo regional :D

Kondlike disse...

Foste cruel e ao mesmo tempo complacente conosco - comunistas.
Cruel em pôr essa foto- que não nos ajuda a chegar no ponto ideal - e o trecho "ou somente um sujo e saboroso cachorro-quente". Mas faz parte.
Complacente em dizer verdades que alimentam a causa do ego: "Mão Enorme nunca verdadeiramente conseguirá alcançar todos".
Mão Enorme é bem assustadora, mas não é isso que se comenta, muito pelo contrário. "Mão Enorme é nosso tesouro moderno, o homem-carrinho é que é uma ameaça": cuidado que o sabor do molho vermelho é picante.

Neuromancer disse...

Bastante ketchup, muita pimenta e nada de maionese, por favor.